Falta de verba pode fazer com que ENEM 2021 seja cancelado

Igor Juan

17 de maio de 2021
Atualização:18 maio 2021 às 12:40

O ENEM, um dos principais vestibulares do Brasil, corre risco de ser cancelado em 2021 por falta de verba. O Ministro Milton Ribeiro tentou acalmar a Imprensa, afirmando que o MEC garante que irá realizar a prova em novembro e dezembro, mas internamente, já se cogita o adiamento para 2022.

O MEC e o Inep trabalham com 2 possibilidades. A mais otimista é que o ENEM 2021 seja realizado entre outubro e novembro, e a mais pessimista é que essa edição aconteça só em janeiro de 2022. Os dois fatores que mais preocupam são as impressões das provas e a logística de distribuição, que requerem muito dinheiro, coisa que as duas entidades não têm no momento.

Esse atraso já está impactando no cronograma atual do ENEM, que já deveria ter lançado o edital com as regras e as inscrições, além da marcação da data. O INEP recebeu R$ 200 milhões de orçamento, dinheiro insuficiente para realizar o ENEM, além de outros vestibulares importantes que ajudam a mensurar a Educação no Brasil.

Inscrições no SISU e ProUni estão ameaçadas

Esse atraso, e possível adiamento, do ENEM 2021 pode comprometer o início do calendário do SISU, que já foi duramente afetado pela pandemia de Covid-19, no ano passado. Isso também interfere no processo de entrada de estudantes nas Universidades Federais, que dependem desses programas para a matrícula dos alunos.

Outro impacto é no ENEM Digital, que também pode ser cancelado, por falta de dinheiro. Essa modalidade é um teste importante do MEC para modernizar o ENEM, tornando-o 100% digital, e encerrando com as provas escritas. Em 2020, o primeiro teste foi um sucesso no número de inscritos, 86 mil, apesar dos problemas enfrentados pelos candidatos.