Homem “alugava” filha de 11 anos para ser abusada

Redação Folha de S.Roque

1 de setembro de 2021
Atualização:01 set 2021 às 1:53

Em Carapicuíba na Grande São Paulo, um aposentado de 74 anos foi preso por pagar para estuprar uma menina de 11 anos na Vila Silviânia. O caso ocorreu no dia 18 de agosto, porém a Polícia apenas relevou o caso no dia 31 de agosto.

O caso foi descoberto depois que vizinhos passaram a observar o comportamento da menina, que mora apenas com pai, já que sua mãe morreu há um longo tempo. Um vizinho que percebeu que ele entrou sozinha na casa do aposentado preso, foi escondido até o local e pela janela pode ver que a menina estava sendo abusada por ele.

Antes de chamar a Polícia o vizinho que espionava a situação chamou demais vizinhos que cercaram a casa do aposentado, arrombaram o portão e tentaram agredi-lo, mas a Polícia Militar chegou no momento, impedindo a situação.

No momento em que a Polícia chegou e a multidão de vizinhos estavam em frente a casa do aposentado, a menina saiu de dentro da casa assustada  e chorando. A menina estava em estado de choque e ainda assustada com a situação chegou a urinar na roupa.

Questionada pelos vizinhos e Policiais se foi abusando, ela confirmou e o aposentado acabou preso em flagrante.

Ainda de acordo com os vizinhos, o pai da menina cobrava de demais homens e amigos um valor em dinheiro para que a filha presta-se ‘serviços sexuais” . O pai da menina foi levado para delegacia, mas foi liberado e não voltou para casa após a ocorrido.

O caso foi registrado como estupro de vulnerável e armazenamento de fotografia e vídeo na Delegacia de Defesa da Mulher.

Ainda de acordo com moradores ao Correio do Interior e que preferiam não se identificar, o Conselho Tutelar foi acionado diversas vezes e alertado sobre a situação, mas não compareceu para apurar a situação.

O Correio do Interior entrou em contato com o Conselho Tutelar de Carapicuíba pedindo explicação sobre o não atendimento prévio da situação, mas não obteve retorno até o fechamento dessa matéria.

Com informações do Jornal Correio do Interior