João Doria vai lançar nova fase do Plano SP em junho

Igor Juan

19 de maio de 2021
Atualização:23 maio 2021 às 13:33

A Fase de Transição será prorrogada em São Roque, Sorocaba, e nas demais 643 cidades do Estado de São Paulo, até o dia 31 de maio. Porém, a partir de agora, as regras da Fase Laranja irão vigorar em sua totalidade. Sendo assim, os seguintes setores podem funcionar com 40% da ocupação:

  • Shoppings;
  • Lojas;
  • Serviços Essenciais;
  • Igrejas e Templos religiosos;
  • Salões de Beleza e Barbearias;
  • Setor de Lazer- cinemas, parques, circos, museus e afins;
  • Eventos Culturais com público sentado;
  • Academias.

O toque de recolher está mantido, das 21h às 05h, e órgãos e repartições públicas devem continuar em homeoffice.

Em 01 de junho, todo o Estado entrará numa nova Fase do Plano SPainda sem nome, mas que se assemelha bastante com a Fase Amarela. Nela, a taxa de ocupação dos serviços acima pode passar para 60% e o toque de recolher volta a ser das 22h até às 05h.

Para que isso seja possível, a secretária Patrícia Ellen informou, na coletiva desta quarta-feira (19), que o número de testagens rápidas nos municípios irá aumentar, para que essa flexibilização das medidas da pandemia seja possível.

Além disso, o Estado dará mais autonomia para que os municípios de São Paulo decidam flexibilizar o isolamento social por conta própria, pois com o aumento dos testes de Covid-19, cada cidade poderá fazer um diagnóstico próprio sobre a situação da pandemia no local, podendo por conta própria, ou regredir para a Fase Vermelha, ou avançar para a Fase Verde, por exemplo, sem que o Estado determine.

Vacinação

Na coletiva, ainda foi divulgado mais etapas da vacinação no Estado de São Paulo, para os meses de maio, junho e julho. Confira o cronograma:

  • 21/05– Deficientes que recebem o BPC e pessoas com comorbidades de 45 a 49 anos;
  • 28/05- Deficientes que recebem o BPC e pessoas com comorbidades de 40 a 45 anos;
  • A partir de junho até julho- Deficientes que recebem o BPC e pessoas com comorbidades de 18 a 40 anos, profissionais da Educação que não foram vacinados e adultos de 55 a 59 anos, além de deficientes que NÃO recebem o Benefício de Prestação Continuada de 18 a 59 anos.