ONGs de proteção pedem que crianças não tenham contas no Instagram

Igor Juan

20 de abril de 2021
Atualização:20 abr 2021 às 9:50

Várias ONGs internacionais de proteção à crianças e adolescentes criticam o Instagram por incentivar que menores de 18 anos baixem o aplicativo. Mais recentemente, a rede social chegou a anunciar que criaria uma versão da rede social somente para este público. Muitos temem que elas sejam expostas à conteúdos inapropriados e redes de pedofilia.

Uma delas é a CCFC, dos Estados Unidos, que realizou um abaixo-assinado com 64 pessoas e 35 entidades pedindo para que o presidente do Facebook e do Instagram, Mark Zuckemberg, desista da proposta de criar o ”Instagram Kids”.

O maior temor é que as crianças e adolescentes sejam expostas à redes de pedofilia e pornografia infantil, e que elas virem alvo desses criminosos. Além disso, muitas delas não possuem ainda senso crítico formado, podendo postar coisas que também sejam consideradas inapropriadas para elas.

Além do mais, vale lembrar que muitas crianças já têm uma conta no Instagram, o que tornaria a versão Kids desnecessária. Um terceiro ponto importante é que essa nova rede social só tornaria as crianças mais dependentes dos celulares.

Não é proibido que crianças tenham redes sociais, mas é algo que exige parcimônia

Menores de 18 anos podem ter sim redes sociais, mas com muita parcimônia e supervisão dos pais. Dentre as várias que existem no Mundo, o Instagram é justamente a menos recomendada.

Como a maioria delas não têm um senso crítico formado, elas não possuem discernimento sobre o que pode ser publicado, e o que é proibido. Por exemplo, a divulgação de documentos pessoais e localização da residência é algo proibido, tornando-os vulneráveis a um assalto.

As redes também podem afetar o psicológico delas, pois o mundo virtual é diferente do mundo real. Muitas delas não conseguem lidar com frustrações e fracassos adequadamente, e se elas ficarem viciada em ter mais curtidas e mais comentários, elas podem adquirir sintomas de depressão.

Não há uma data certa para alguém ter uma conta em redes sociais. Para isso, é importante que os pais avaliem se a criança ou o jovem tem maturidade para isso. Crianças e adolescentes que ainda não sabem o que é certo ou errado só poderia  ter uma conta em rede social, se souberem o que estão fazendo, e quais as consequências que podem vir caso hajam de forma inapropriada, por exemplo.