Saiba o significado e simbologias espirituais do sapo

Igor Juan

1 de junho de 2021
Atualização:01 jun 2021 às 15:36

O sapo é um anfíbio e, como passa pelo processo de metamorfose, os xamãs acreditam que ele representa justamente a mudança, renascimento, a pureza. Assim como a borboleta, a libélula e a mariposa, se você ver um sapo pela frente. é sinal que você precisa de uma autorreflexão.

Índios da América do Sul e do Norte e os celtas também acreditam que o sapo, por viver na água, representa a cura. Essa simbologia dada pelos indígenas se deve ao fato de que os sapos vivem em um ambiente úmido, alagado, chuvoso. E, historicamente, já se sabe que esses povos sempre tinham costume de cultuar a chuva, que permite que as árvores cresçam e floresçam, e gerem frutos. E, por conta disso, o sapo também ganhou uma representação de renovação. 

Sendo assim, a principal função desse animal é tirar as energias negativas do ser humano. O sapo também nos ensina que é preciso que nós possamos sempre superar as adversidades, nos tornando pessoas melhores por meio da renovação espiritual.

Além disso, o animal nos faz ver que ter sentimentos é algo importante, e reprimi-los nunca é algo saudável. Essa é a maior cura que esse anfíbio pode proporcionar, que é saber que muitas vezes, precisamos liberar as frustrações e as energias ruins, para nos renovarmos.

O seu processo de metamorfose nos ensina que a vida é cheia de mudanças. Aceitar os nossos defeitos e ações erradas e mudá-las, nos tornando pessoas melhores, é outra lição muito importante. Por isso, quando você vê-lo em sua frente, ou se você sonhar com ele, é sinal de que você precisa refletir mais sobre si mesmo.

Significado do Sapo na Macumba

O sapo sempre foi visto como ruins por estar ligado a determinados tipos de feitiços, exatamente por causarem asco, ams ao mesmo tempo serem misteriosos, ágeis, inteligentes, se defenderem muito bem e serem sinônimo de umidade e terra boa.

Ao longo de séculos difundiu-se sobretudo a ideia de que feitiços malignos estariam sendo criados com o uso de sapos na feitiçaria, costurando na boca do animal maldades à alguém. Tudo isso advindo da crença de que o corpo do sapo seria altamente energizado e que seu organismo teria a capacidade de acumular e dissipar sensações com facilidade.

Assim, se um feitiço é realizado neste corpo que é altamente qualificado para armazenar e distribuir tendências de energia cósmica, teríamos uma espécie de bomba fluída para atingir pessoas de uma forma negativa e muito potente. E ainda por cima evitando de ter que fazer sacrífios mais cruéis, já que acredita-se que o sapo consegue eliminar toda essa carga maléfica e sobreviver sem ser afetado completamente.

Entretanto, o animal escolhido nunca deixa de sofrer, de modo que além de malefícios a alguém, gera-se dor a um animal inofensivo, dor essa que é revertida dos sapos na feitiçaria a quem receberá a dita maldição. Como são usados objetos da pessoa dentro do animal, a conexão é estabelecida e o feiticeiro deve apenas acionar esta conexão com seu trabalho.

Por isso, quanto ao uso de sapos na feitiçaria o ideal é estar sempre energizado e conectado com boas energias em si mesmo e nos que te rodeiam. Não criar inimizades e evitar gerar inveja são o caminho ideal para se aveitar isso. Mas o mais importante e que depende de nós é estar sempre de bem consigo e em orações, meditações. Pedir pelo próximo que te energiza negativamente e pela sua vida é sempre aconselhável. Esteja sempre forte espiritualmente e mentalmente, confiando apenas em pessoas ligadas ao esoterismo que sejam realmente sérias e de confiança para evitar que charlatões te enganem dizendo que você sofreu este tipo de feitiço, sabendo que ele é tão difícil de ser feito e bem realizado no Brasil, já que trata-se de uma tradição europeia milenar que surgiu aqui apenas como metáfora para maldições populares.